segunda-feira, 25 de maio de 2015

Paixão felina.


PAIXÃO FELINA
 
Mimi era um gato elegante e bonito,
Amarelo e branco, era todo malhado.
De dia, era só dentro de casa, o bendito,
Mas de noite, o seu mundo era o telhado.

Miado de gata, tinha para todo lado,
E Mimi, tô nem aí, pouco ligava.
Isso porque, simplesmente, o safado,
Com amor, somente para uma gata olhava.

A felizarda era gostosa, a Mimosa,
Era o mimo, o chamego, o xodó da vizinha.
Gatinha atraente, bastante formosa,
Pois charme e beleza, era só o que tinha.

Mimosa também era a fim do Mimi,
Sempre alerta ficava, quando o via passar.
Mas, para não dar o que miar, aos gatos dali,
Preferia, quietinha, no seu canto ficar.

Um dia se acertaram e juntaram os mijados,
A cada ano, três vezes, a Mimosa paria.
Eram muitos os gatos, difícil de serem contados,
Como também, aguentar tamanha gataria.

R.S. Furtado 
Reedição

Visite também: 
Com a História da Literatura Portuguesa 
Clicando aqui:

segunda-feira, 18 de maio de 2015

Direitos e deveres.



DIREITOS E DEVERES

"Quando pensares em fazer valer os teus direitos, lembres que também tens deveres, principalmente, o de respeitar os direitos dos outros."

R.S. Furtado
 
Visite também:
Com a História da Literatura Portuguesa
Clicando aqui: 
 

segunda-feira, 11 de maio de 2015

Felicidade.

FELICIDADE

Sempre que a procurava, era inútil, ela não ligava,
Fingia não me ver, seguia em frente, ia embora.
E eu numa tristeza infinda, me mal dizia, me amargurava,
Mas, insistia no meu intento, em todo momento, a toda hora.

Às vezes, eu por ela passava e humildemente a olhava
Na esperança que um dia, na minha vida ela entrasse.
E indiferente a tudo, como sempre ela me ignorava,
Tirando-me a ilusão que da minha vida compartilhasse.

Com muita obstinação continuei, da luta jamais desisti,
Sem relutar dei tudo de mim, o possível e o impossível.
Cansei, tropecei, caí, levantei, investi na batalha, persisti,
Decididamente não esmoreci, acreditei ser previsível.

Hoje, dou graças ao Senhor por me ter proporcionado,
Saber da força do seu poder e da sua infinita bondade.
Pois ao acordar, como um lindo troféu estava ao meu lado,
A minha querida tão sonhada e almejada felicidade.

R.S. Furtado. 

Visite também:
Com a História da Literatura Portuguesa
Clicando aqui:
 

segunda-feira, 4 de maio de 2015

A primeira vitória.

 

A PRIMEIRA VITÓRIA

A minha primeira e mais importante vitória nas batalhas pela vida, foi quando, ainda espermatozoide, entre milhões de competidores, atingi o óvulo da minha querida mãe.” 

R.S. Furtado 
  Reedição
 Minha homenagem à todas as MÃES do mundo com um grande beijo no coração de cada uma.
 
Com a História da Literatura Portuguesa 
Clicando aqui:

segunda-feira, 27 de abril de 2015

Inalcançável.


INALCANÇÁVEL

O homem desperta na manhã da vida,
A bagagem precisa então avia.
- Consciência, saber e uma incontida,
Vontade de vencer na qual confia.

Sem temor parte, e, logo na partida,
Uma esperança companheira o guia.
Em toda sua luta empreendida,
Em busca do ideal que acaricia.

Mesmo quando da vida a noite desce,
O homem aspira ainda e, ainda crente,
Continua a lutar, não esmorece.

E assim, a vida passa e ele não cansa,
De correr noite e dia imensamente,
Atrás sempre de um bem que não alcança.

R.S. Furtado 

Visite também: 
Com a História da Literatura Portuguesa 
Clicando aqui:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...